Ator Anthony Perkins

Compartilhe famosos, filmes, trailers e séries
Anthony Perkins

Antohny Perkins com Audrey Hepburn no clássico A Flor Que Não Morreu

Anthony Richard Perkins, mais conhecido como Anthony Perkins, foi um ator norte-americano que fez muito sucesso no cinema. Nascido em 4 de abril de 1932, em Nova Iorque (EUA), Perkins era filho do ator de palco Osgood Perkins (1892–1937) e Janet Rage (1894-1979), provavelmente uma pesquisadora e administradora.

De acordo com a sua biografia, Anthony conviveu pouco com o pai. Primeiro porque este vivia viajando a trabalho e segundo porque morreu, vítima de um ataque cardíaco, quando Perkins tinha apenas 5 anos de idade.

Nesse ínterim, observa-se um episódio edipiano. Anthony Perkins via pouco seu pai, que ora estava viajando em turnê com uma peça teatral, ora estava envolvido com as filmagens em Hollywood. Quando ele retornava para casa, o pequeno Anthony era tomado de raiva e ciúmes.

Embora nutrisse amor pelo pai, em algum momento próximo ao seu falecimento, Perkins desejou sua morte, o que acabou lhe desencadeando certa culpa por terrível coincidência. Em entrevista à revista People em 1983, Perkins declarou que, após a morte de seu pai, ele orava todas as noites com o intuito de que ele retornasse.

Ainda assim, Perkins alimentava a esperança de poder ver seu pai, de certa forma, vivo no cinema. Sobre ele, Perkins declarou “Ele (o seu pai) acabou se tornando um ser mítico para mim, o qual devia ser temido e apaziguado”.

Devido a estas circunstâncias, acabou se apegando fortemente à mãe, a qual o dominava fortemente. Porém, tal domínio acabou o sufocando. De acordo com as próprias declarações do ator, sua mãe tinha uma personalidade forte e o dominava completamente a ponto de controlar os seus mais íntimos pensamentos.

Em determinado momento, ele chegou a declarar à revista que sua mãe tocava o seu corpo de modo que o fazia se sentir desconfortável. Para Perkins “amar a mãe era uma forma de se manter conectado mentalmente à morte de seu pai, portanto, amá-la transformou-se em algo perigoso”.

De todo modo, a relação com os seus pais acabou desencadeando a dificuldade latente de expressão de sentimentos que o ator enfrentou ao longo da vida. Muitos que tiveram algum tipo de contato com Perkins o consideravam como uma pessoa muito tímida.

Embora tenha o mesmo sobrenome, o eterno Norman Bates não tem relação parentesca com a também atriz Elisabeth Perkins.

Anthony Perkins ator: o início da trajetória

Após uma infância turbulenta e angustiante, Anthony Perkins decidiu seguir os caminhos antes trilhado pelo seu pai, ou seja, o das artes cênicas. Para Anthony, aquela era a saída, pois cresceu ouvindo histórias maravilhosas a respeito do pai, que tinha sido um grande ator, muito amado e que tinha ido a todos os lugares desejados. De certa forma, aquilo o motivou a ponto de querer vivenciar igualmente a “glória, adoração e liberdade”.

Assim sendo, Perkins procurou o teatro e participou de vários concursos promovidos pela escola dominical. Mas foi aos 15 anos que sua carreira realmente começou. Perkins integrou o grupo Actors Equity e logo começou a trabalhar em várias produções teatrais.

O primeiro grande papel do ator foi no filme “The Actress” (ou, no Brasil, “Papai não quer”), de 1953, quando tinha apenas 21 anos de idade. A comédia dramática foi estrelada por Spencer Tracy (1900 – 1967). No longa, ele interpretou o personagem Fred Whitmarsh.

Em 1954, Perkins estreou na Broadway com a peça Tea and Sympathy, em que recebeu vários elogios. Foi nesta ocasião que ele começou a se aventurar no canto utilizando o pseudônimo Tony Perkins.

Não demorou muito, mais precisamente no ano de 1957, para receber uma indicação ao Oscar na categoria de melhor ator coadjuvante pela atuação no filme Friendly Persuasion (ou, no Brasil, “Sublime Tentação”) em que deu vida ao personagem Josh Birdwell. O filme recebeu diversos prêmios, e a Perkins foi destinado o Globo de Ouro como ator revelação.

Anthony Perkins Psicose

Ao longo de sua carreira como ator, Anthony Perkins trabalhou em diversas produções cinematográficas, embora a de maior destaque tenha sido justamente na obra prima Psicose (1960), de Alfred Hitchcock.

No célebre filme, Perkins encarnou Norman Bates, um dos protagonistas do longa, que é o gerente do Motel Bates. Norman é uma pessoa que sofre com problemas mentais (transtorno dissociativo de identidade) e que acaba cometendo vários crimes, inclusive o do assassinato de Marion Crane (personagem de Janet Leigh) na famosa cena do chuveiro.

Graças a sua atuação neste longa, o ator viu o seu nome ser inserido na galeria dos grandes nomes de Hollywood, ainda lhe rendendo o prêmio de melhor ator pelo Conselho Internacional de revisores cinematográficos.

Principais filmes de Anthony Perkins

Estima-se que o ator Anthony Perkins tenha trabalhado em aproximadamente 56 produções cinematográficas, incluindo todas as sequências de Psicose (“II” em 1983, “III” em 1986 e “IV: The Beginning” em 1990). Outros filmes relevantes que fazem parte de sua biografia cinematográfica são os seguintes:

  • Fear Strikes Out (1957) – Como Jim Piersall;
  • The Tin Star (1957) – Como Sheriff Bem Owens;
  • This Angry Age (1958) – Como Joseph Dufresne;
  • Desire Under the Elms (1958) – Eben Cabot;
  • The Matchmaker (1958) – Como Cornelius Hackl;
  • Green Mansions (1959) – Como Abel;
  • On the Beach (1959) – Como o tenente Peter Holmes;
  • Tall Story (1960) – Como Ray Blent;
  • Psicose (1960) – Como Norman Bates;
  • Goodbye Again (1961) – Como Philip Van der Besch (foi premiado no Festival de Cannes como Melhor Ator);
  • Phaedra (1962) – Como Alexis;
  • The Fool Killer (1965) – Como Milo Bogardus;
  • Is Paris Burning? (1966) – Como o Sargento Warren;
  • Evening Primrose (1966) – Como Charles Snell;
  • Pretty Poison (1968) – Como Dennis Pitt;
  • Play It as It Lays (1972) – Como B.Z.;
  • Mahogany (1975) – Como Sean;
  • Os Miseraveis (1978) – Como Javert (para a TV);
  • Destroyer (1988) – Como Robert Edwards
  • In the Depp Woods (1992) – Como Paul Miller (para a TV).

Filhos de Anthony Perkins

Apesar de ser apontado como bissexual e ter tido diversos casos, Anthony Perkins foi casado com a bailarina Berry Berenson (1948 – 2001), que era irmã da atriz Marisa Berenson.

Com a bailarina, Perkins teve dois filhos, que vieram depois a seguir carreiras artísticas distintas: o ator Osgood Perkins, que é mais conhecido como Oz Perkins, nascido em 1974, e o músico Elvis Perkins que nasceu no ano de 1976.

Curiosamente, Oz participou de Psicose II, em 1983, para retratar a versão 12 anos mais jovem do seu pai que fez o papel de Norman Bates. Depois, ele atuou em Legalmente Loira (2001) com o personagem Dorky David e em 2009 integrou o elenco de Star Trek como o estagiário da Academia da Frota Estelar. Além desses papeis e outros já realizados como ator, Oz é também diretor e escritor.

Já o seu irmão Elvis é um cantor e compositor de folk rock. Em 2009, junto com a sua banda Elvis Perkins in Dearland lançou no mês de março o seu primeiro álbum, cuja música “Doomsday” integrou a trilha da série da HBO “Iluminado”, na estreia de sua segunda temporada.

E, por fim, Anthony Perkins deixou sua família e fãs no dia 12 de setembro de 1992, vítima de AIDS. Ele foi cremado. Em 2001, sua viúva Berry Berenson-Perkins morreu no voo 11 da American Airlines, no episódio trágico do atentado de 11 de setembro contra as Torres Gêmeas do World Trade Center.

Leave a Reply