Alec Guinness

Compartilhe famosos, filmes, trailers e séries

Alec Guinness foi um consagrado ator britânico, vencedor do Oscar de Melhor Ator por sua atuação no filme A Ponte do Rio Kwai, em 1958, sendo, também, indicado ao prêmio em outras ocasiões.

Alec Guinness: origemalec guinness

Alec Guinness nasceu em Maida Vale, distrito de Londres, em 2 de abril de 1914, poucas semanas, portanto, antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial. Sua mãe chamava-se Agnes Cuff, e não se sabe ao certo quem foi seu pai, pois, em seu certificado de nascimento não constava esta informação

Alec Guinness estreou no teatro no ano de 1934, aos 20 anos de idade. Sua estreia se deu no King’s Theatre, na peça chamada Libel. Ainda nos anos 1930, atuou no Albery Theatre, mais precisamente em 1936, quando fez o papel de Osric em uma bem-sucedida produção de Hamlet, famosa peça de Shakespeare, dirigida pelo célebre John Gielgud. Outro teatro em que atuou na mesma década foi o Old Vic, onde conheceu o ator Anthony Quayle, de quem se tornou grande amigo. Os dois seriam colegas de elenco em alguns filmes posteriormente, como Lawrence da Arabia (1962) e A Queda do Império Romano (1964).

Além de atuar em várias peças shakespeareanas na década de 1930, Alec também adaptou para os palcos o famoso romance Grandes Esperanças, de Charles Dickens, em 1939. Nesta versão, que foi muito bem-sucedida, ele fez o papel de Herbert Pocket.

Na Segunda Guerra Mundial, o ator serviu na Marinha, onde chegou à patente de tenente. Com o fim da guerra, ele pôde retornar aos palcos.

Alec Guinness: carreira no Pós-Guerra

Alec atuou no Old Vic entre os anos de 1946 e 1948. Lá, trabalhou em representações de obras de autores consagrados como William Shakespeare, Ben Johnson e Edmond Rostand. Além de consagrado nos palcos (recebendo, na década de 1960, o prêmio Tony por sua atuação como Dylan Thomas em uma peça sobre o famoso poeta), o ator encontrou no pós-guerra a consagração nas telas de cinema. Como sabemos, Alec Guinness participou de filmes entre os mais apreciados da história do cinema.

Nos anos 1930, Alec já havia participado como figurante (sem crédito) no filme A Canção do Anoitecer, de 1934. Em 1946, retornou (desta vez, para o cinema) a seu papel como Herbert Pocket em Grandes Esperanças. Dois anos depois, em 1948, interpretou Oliver Twist, outra obra baseada em um romance de Charles Dickens. Neste filme, ele fez o papel do criminoso Fagin.

Alec Guinness: Star Wars

Não que os créditos cinematográficos de Guinness no pós-guerra tenham se limitado a personagens de Dickens. Basta lembrar que fez Alec Guinness Star Wars no final dos anos 1970. Ele esteve no primeiro filme da franquia, Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança, na qual interpretou o mestre jedi Obi-Wan Kenobi, sendo, talvez, seu papel mais popular. Não é à toa que é forte na mente do público a relação Alec Guinness x Obi-Wan Kenobi.

No entanto, apesar da extrema popularidade do papel do mestre jedi, muitos dizem que Alec Guinness odiava Star Wars. Na verdade, a realidade é mais detalhada.

Guinness não ficou muito impressionado com a trama do filme, que definiu como um lixo de conto de fadas, ou com os diálogos, que dizia serem ruins. Os problemas de produção que atormentaram as filmagens também não colaboraram para uma boa experiência. Além disso, Guinness se sentia deslocado entre os outros atores principais, bem mais jovens do que ele.

Apesar de suas restrições, ele apreciava a clareza moral de Star Wars e admitiu, depois de ter visto o filme, que havia certo frescor impressionante nele. Além disso, ele simpatizava com Mark Hamill. Os depoimentos de membros do elenco e da equipe técnica do filme ressaltam a educação e o profissionalismo de Guinness durante as filmagens, tanto dentro quanto fora do estúdio de filmagem.

Alec Guinnes: Lawrence da Arábia

Alec Guinness também participou do filme Lawrence da Arábia. No longa, lançado no ano de 1962, Alec interpretou o papel do Príncipe Faisal. Dentro do elenco, havia velhos amigos, como Anthony Quayle. Outro grande filme de que participou naquela década foi Doutor Jivago, lançado no ano de 1965.

Alec Guinness: prêmios e indicações

Na década de 1950, o ator se tornou Sir Alec Guinness. Ele foi admitido à Ordem do Império Britânico e, posteriormente se tornou Cavaleiro. No ano de 1960, ele recebeu uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

Entre os outros reconhecimentos que o ator recebeu durante sua carreira, podemos citar indicações ao Oscar de Melhor Ator por O Mistério da Torre (1953), A Ponte do Rio Kwai (1958), da qual foi vencedor, e o de Melhor Ator Coadjuvante por Star Wars: Episódio lV – Uma Nova Esperança (1978) e A Pequena Dorrit (1989). Alec ainda foi indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por Maluco Genial (1959). Em 1980, recebeu um Óscar honorário em homenagem a seus serviços prestados ao cinema.

Guinness teve também três indicações ao Globo de Ouro. Ganhou com seu papel em A Ponte do Rio Kwai. Foi indicado também por suas atuações em Star Wars e em Little Dorrit, outro filme baseado em um romance de Dickens.

Também ganhou um Tony, importante prêmio do teatro, por sua atuação no papel de Dylan, célebre poeta galês.

Vida Pessoal de Alec Guinness

Ainda nos anos 1930, mais especificamente, em 1938, Alec Guinness se casou com a dramaturga e atriz Merula Sylvia Salaman, com quem teve um filho chamado Matthew Guinness, que também se tornou ator. Alec Guinness serviu na Marinha de seu país durante a Segunda Guerra Mundial, tendo alcançado a patente de tenente.

Alec Guinness: morte

Alec Guinness feleceu em 5 de agosto de 2000, em West Sussex, na Inglaterra, aos 86 anos de idade. Seu último crédito como ator havia sido pelo filme para TV Eskimo Day, filmado no Reino Unido.

Alec Guinness: curiosidades

A altura de Alec Guinness era de 1,78 m.

Durante seu serviço na Marinha, Guinness pensou em entrar para o clero anglicano. Interessantemente, em 1954, quando filmava na França Father Brown, comédia de mistério baseada em uma história do escritor Chesterton, uma criança que provavelmente o confundiu com um padre de verdade seguiu o ator vestido de padre, tomou sua mão e ficou conversando com ele (em francês, língua que ele não entendia bem) até soltar sua mão, acenar para ele se despedindo e partir. A história marcou profundamente o ator.

Em 1956, Guinness converteu-se ao Catolicismo. Sua esposa, de origem judia, fez o mesmo no ano seguinte.

Leave a Reply