Tony Musante

Compartilhe famosos, filmes, trailers e séries

Ele já foi um temido mafioso na série “Oz”, um homem apaixonado e com uma doença incurável em “O Anônimo Veneziano”, um antigo revolucionário em “Os Violentos Vão para o Inferno e um detetive com métodos pouco ortodoxos em “Toma”. Isso mostra quão multifacetado foi o ator norte-americano Tony Musante em seus 50 anos de carreira.

Desde o início de sua vida artística nos anos 60, até sua morte, em 2013, ele fez de tudo um pouco (ou muito) no teatro, na TV e no cinema, se dividindo, principalmente entre produções dos EUA e Itália.tony musante

Suas origens italianas (por conta da mãe), lhe deram um tipo físico específico, de traços firmes e um jeito bronco, que lhe facilitaram atuar no papel de homens durões, seja do lado da lei, ou contra ela. Um de seus papeis mais populares foi o do detetive Toma, na série televisiva de mesmo nome, que durou apenas uma temporada (1973), dando origem a outra, de muito sucesso nos anos 70: “Baretta”, protagonizada por Robert Blake. Curiosamente, Musante até hoje é lembrado por esse papel, de curta duração mas longa vida.

Musante dizia que nunca se arrependeu de ter desistido da série. Afinal, outros grandes papeis estavam a sua espera. O fato é que, sempre inquieto, vivia em busca de novos desafios. E com isso, construiu uma carreira sólida e regular, obtendo reconhecimento por grandes atuações  no cinema, teatro e TV.

TONY MUSANTE: JUVENTUDE

Anthony Peter Musante Jr, mais conhecido como Tony Musante, nasceu em 30 de junho de 1936, em Bridgeport, Connecticut, EUA. Filho de uma professora (Natalie Musante) e de um contador (Anthony Peter Musante), na juventude ele estudou na Northwestern University e no Oberlin College. Bem que ele tentou seguir os passos da mãe, trabalhando como professor em uma escola. Mas a vocação falou mais alto.

Logo ele começaria a trabalhar em montagens da Off Broadway, inicialmente como assistente de palco e em seguida, como ator em algumas produções teatrais. Em 1963, chamou a atenção do produtor David Susskind, que o convidou para participar do drama televisivo “Ride With Terror”, no papel de um jovem bandido, Joe Ferrone.

Agarrou a oportunidade e nunca mais deixou de atuar. Discreto, Musante nunca se deixou seduzir pela fama. Levava a sério sua profissão, mas sabia preservar sua vida pessoal. Casou-se com a escritora Jane Ashley Sparkes, de 2 de junho de 1962 até sua morte em 2013, Não tiveram filhos.

TONY MUSANTE: CARREIRA

Depois de atuar em algumas peças teatrais e fazer o drama para TV “Ride With Terror”, Tony Musante estreou no cinema em 1965,  no filme “Once a Thief”. Em 1967, ele interpretou novamente o papel de Joe Ferrone, com uma atuação ainda mais dura e incisiva  na versão para o cinema de With Terror”, que foi renomeada “The Incident”.

Por esse trabalho, Tony conquistou o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cinema de Mar Del Plata, o que lhe abriu as portas para novos convites. Iniciou uma série de produções na Itália, terra natal de sua mãe, enquanto produzia também nos EUA.

Um dos papeis  mais marcantes dessa época  foi o do revolucionário mexicano Paco Roman, no famoso Spaghetti Western “Os Violentos Vão para o Inferno” (Il Mercenario) (1968), de Sergio Corbucci, ao lado de Franco Nero, Jack Palance, Álvaro de Luna, Giovanna Ralli e Eduardo Fajardo.

Antes, ele já havia participado de diversas séries televisivas, como “Alfred Hitchcock Apresenta” (1963), “The Trials of O’Brien” (1965 a 1966),  “O Fugitivo” (1966), além de produções também para o cinema, tanto nos EUA, quanto na Itália, entre os quais “O Detetive” (1968. Logo, ele estaria interpretando os melhores papeis de sua carreira.

TONY MUSANTE: PRINCIPAIS PAPEIS

Com uma carreira diversificada, existem pelo menos três papeis pelos quais Tony Musante sempre será lembrado. O primeiro, foi em um grande sucesso no cinema: “O Anônimo Veneziano” (1970), drama italiano, dirigido por Enrico Maria Salerno. Nele, o ator é Enrico, um músico de renome, agora doente terminal, que decide convidar sua ex esposa Valeria para visita-lo em Veneza, o que se torna uma viagem romântica. No filme, Musante contracena com a atriz brasileira, Florinda Bolkan. Rodado em Veneza e com belíssima trilha, o filme foi um grande sucesso de bilheteria, inclusive nos EUA, superando outro filme do gênero, igualmente popular, “Love Story”.  Foi a segunda vez que ele contracenou com Bolkan. Haviam atuado juntos em “Numa Noite, Um Jantar” (Metti uma Sera a Cena) (1969), de Giuseppe Patroni Griffi. Eles ainda reviveriam a parceria em 1987, no filme “La Gabbia”.

Outro papel pelo qual foi muito elogiado, foi o de Sam Dalmas, um escritor americano atormentado por testemunhar um crime, no Thriller “O Pássaro com Plumagem de Cristal” (1970), dirigido pelo italiano Dario Argento.

O filme faz parte de uma trilogia do diretor, que se completa com “O Gato de Nove Caudas” e “Quatro Moscas sobre o Veludo Cinza”(1971).

Mas entre os papeis que o consagraram, um especial ficará para sempre na memória de seu público: o detetive David Toma, na série de televisão apresentada pela ABC, no ano de 1973.

TONY MUSANTE: SÉRIE DE TV TOMA

Escrita por Robert Huggins e produzida pela ABC, “Toma” foi inspirada na vida do detetive David Toma. A série, que se passa em Newark, Nova Jersey, acompanhava o desenrolar dos casos investigados pelo detetive, conhecido como o mestre dos disfarces, que resolvia seus casos se infiltrando no meio das atividades criminosas.

Na época, Musante, que estava em vias de atuar numa peça de teatro, só aceitou participar da série se fosse por uma única temporada. Quando a ABC decidiu dar continuidade à série, tiveram que chamar outro ator, Robert Blake, para o papel principal. Com a troca, a série foi reformulada, com um outro personagem, o detetive Baretta, que se tornou um enorme sucesso da TV nos anos 70.

Entre outras séries televisivas, Musante atuou em “Rockford Files” (Arquivo Confidencial) e, de 1997 a 2003, na produção da HBO, “Oz”, como o mafioso  Nino Schibetta.

TONY MUSANTE: FILMES

Entre 1956 e 2013, data de seu último trabalho na série “Pupetta – Il Coraggio e la Passione”, Tony Musante participou de dezenas de filmes para cinema e TV, além se séries de TV e produções teatrais, como a peça da Broadway “PS, Your Cat is Dead!”

Também atuou com a atriz Meryl Streep na peça “27 Wagons Full of Cotton, de Tenessee William, em 1976.

Com seu rosto de traços fortes, Musante teve a oportunidade de representar tipos durões e embrutecidos, como o mafioso Nino Schibetta da série “Oz”, o detetive David Toma, de Toma ou o escritor atormentado Sam Dalmas, de “Pássaro com Plumagem de Cristal”. Mas também soube ser doce e frágil como o Enrico, de “O Anônimo Veneziano” ou Paolo, de “Euttanasia di un Amore”. Papéis pelos quais ele sempre será lembrado.

TONY MUSANTE: MORTE

Em 26 de novembro de 2013, aos 77 anos, o ator faleceu em decorrência de uma hemorragia durante um procedimento cirúrgico no hospital Lenox Hill, de Nova York. Ele já estava afastado dos sets há alguns anos e seu último trabalho para o cinema tinha sido em “Os Donos da Noite”, de James Gray (2013).

  • Ride with Terror – 1963
  • O Incidente – 1967
  • Os Violentos Vão para o Inferno – 1968
  • Uma noite, O Jantar – 1969
  • O Pássaro com Plumagem de Cristal – 1970
  • O Anônimo Veneziano – 1970
  • A Última Fuga – 1971
  • Toma – 1973
  • Arquivo Confidencial – 1974
  • Euttanasia di um Amore – 1978
  • Nowhere to Hide – 1977
  • Oz – 1997 – 2003

Leave a Reply