Catherine Deneuve

Compartilhe famosos, filmes, trailers e séries

Catherine Fabienne Dorléac, mais conhecida como Catherine Deneuve, é uma atriz francesa, famosa por seu talento e beleza, considerada uma das grandes pérolas do cinema francês e mundial.

Origem da estrela Catherine Deneuve

Catherine nasceu na cidade de Paris, em 22 de outubro de 1943. Seus pais eram os atores de teatro Maurice Dorléac e Renée Simonot. Ela tem duas irmãs, Fançoise, a mais velha, e Sylvie, mais nova, além de uma meia-irmã, Danielle, nascida em 1937, e adotada por Maurice como sua própria filha.

Ela aderiu Catherine Deneuve (Deneuve era o sobrenome de solteira da mãe) como nome artístico logo no começo de sua carreira para se distinguir das irmãs, que também atuavam. Estreou no cinema em um pequeno papel no filme Amores de Colegiais, lançado no ano de 1957, e dirigido por André Hunebelle.

catherine deneuve

Entre os filmes que fez posteriormente, podem ser mencionados L’Homme à Femmes (1960) e As Parisienses (1962).

O papel que a projetou ao estrelato foi o de Geneviève Emery, no filme Os Guarda-Chuvas do Amor (1964), dirigido por Jacques Demy. Catherine Deneuve, ainda jovem, começava a chamar a atenção do público.

No thriller Repulsa ao Sexo (1965), dirigido por Roman Polanski, ela fez uma personagem sexualmente reprimida, que lhe valeu o apelido de “donzela de gelo”. Entre os outros filmes que fez na década de 1960, podemos mencionar Satã Conduz o Baile (1962) e A Bela da Tarde (1967), este último dirigido por Luis Buñuel. Catherine Deneuve era uma nova estrela em rápida ascensão no mundo do cinema.

O Estrelato de Catherine Deneuve

Com o sucesso, as oportunidades de Deneuve se multiplicaram e o espaço para exercer sua versatilidade se alargou. Pôde fazer filmes de diversos gêneros, como comédia, musical e drama, além de ser dirigida por alguns dos mais respeitados diretores da França, além de atuar em algumas produções americanas.

O sucesso e a impressionante beleza de Deneuve renderam-lhe oportunidades fora das telas de cinema. Nos anos 1970, ela foi a face pública da famosa marca de perfumes Chanel. Em parte, da década de 1980, ela foi usada como modelo de Marianne, a representação da República Francesa, e, como tal, teve sua imagem utilizada em moedas e selos franceses.

Entre os filmes que fez depois de consagrada, podemos mencionar Um Dia em Duas Vidas (1969), drama romântico em que contracenou com o famoso ator americano Jack Lemmon; A Sereia do Mississipi (também de 1969), filme dirigido por icônico diretor francês François Truffaut; Crime e Paixão (1975), Fome de Viver (1983), Indochina (1992) e Dançando no Escuro (2000), dirigido pelo dinamarquês Lars von Trier.

Catherine Deneuve: prêmios e indicações

Deneuve tem uma longa carreira que soma mais de 100 filmes, e foi coroada com o amor do público e o reconhecimento da crítica. Mencionaremos alguns dos prêmios e indicações que recebeu ao longo de sua carreira.

Catherine foi indicada ao Oscar em 1993 por seu papel em Indochina. Foi indicada ao César (prêmio do cinema francês, largamente considerado o Oscar francés) 14 vezes, 13 delas como melhor atriz e uma como melhor atriz coadjuvante. Ganhou o prêmio de melhor atriz duas vezes, em 1981 e em 1993, por seus papéis nos filmes O Último Metrô e Indochina, respectivamente. Foi indicada, em 1969, por sua atuação no filme A Bela Da Tarde ao prêmio da British Academy of Film and Television Arts, a BAFTA. Em 1998, ganhou o prêmio de melhor atriz do Festival de Cinema de Veneza por sua atuação no drama policial Place Vendôme.

Vida Pessoal da Atriz

Como dito anteriormente, os pais da atriz também eram atores. Sua irmã, Francoise, morreu em 1967, em um acidente de carro.

Entre os homens com quem ela já teve relacionamentos amorosos, podem ser mencionados o diretor francês Roger Vadim, com quem teve um filho, Christian Vadim, nascido em 1963; e Marcello Mastroianni, famoso ator italiano, com quem teve uma filha, Chiara Mastroianni, nascida em 1972.

Ela foi casada entre 1965 e 1972 com o fotógrafo inglês David Royston Bailey.

Em 2017, Catherine Deneuve assinou a Carta Contra o Movimento #MeToo.

A hashtag #MeToo (pode ser traduzida como #EuTambém) popularizou-se em 2017 na esteira de revelações sobre abuso e assédio sexuais em Hollywood, primeiro como uma maneira de revelar o alcance do assédio sexual e depois como uma maneira de apoiar a luta contra esse tipo de mal. Acabou se formando um movimento diversificado formado por homens e mulheres de todos os tipo em defesa dos direitos da mulher, inclusive no mercado de trabalho.

No começo de 2018, Deneuve e muitas outras mulheres com posições de destaque na indústria do entretenimento francesa assinaram uma carta que foi publicada pelo prestigioso jornal francês Le Monde, criticando o movimento #MeToo. Segundo as signatárias, embora a denúncia da violência contra a mulher na sociedade, incluindo no mercado de trabalho, onde homens abusam de seu poder para conseguir favores sexuais, deva ser denunciada, o movimento #MeToo tinha se convertido em uma caça às bruxas dominada pelo puritanismo e incapaz de diferenciar crime de flerte. Elas disseram ainda que tal comportamento destrói carreiras de homens inocentes, banaliza a violência sexual ao enxergá-la em praticamente todo lugar e ameaça as tradições francesas de romance.

Depois de ter sido duramente criticada por ter assinado a carta, Deneuve publicou um ensaio no jornal Libération em que lembrou suas credenciais feministas, tendo assinado um abaixo-assinado da filósofa francesa Simone de Beauvoir a favor do direito ao aborto em 1971. Desculpou-se unicamente com as vítimas de crimes sexuais que pudessem ter se sentido ofendidas pela carta publicada no Le Monde, e disse que, entre as características dos dias de hoje de que ela não gosta está o fato de que todo mundo se acha capaz de julgar e condenar os outros. Ela rejeitou ainda o apoio de conservadores racistas e tradicionalistas que tentaram fazer uso da posição dela e das outras signatárias da carta em defesa de seus próprios interesses.

Catherine Deneuve: Principais Papéis

Sem dúvida, os dois principais papéis da carreira de Catherine são o de Geneviève Emery, em Os Guarda-Chuvas do Amor, que lhe deu destaque no começo da carreira, e o de Élaine, em Indochina, que lhe trouxe um César e sua única indicação ao Oscar.

Catherine é nascida em 22 de outubro de 1943 e divorciou-se de seu único marido em 1972. Teve diversos relacionamentos, inclusive com artistas famosos.

Em uma crônica (Adolescência) do escritor brasileiro Luis Fernando Verissimo, um adolescente, que não gosta de banho e é apelidado de Cascão por sua sujeira, garante que todo mundo, até quem toma muitos banhos por dia, como a irmã dele, tem pelo menos um pouquinho de sujeira, um filete, uma rosquinha que seja na pele. Depois de citar alguns exemplos de belas mulheres famosas que o irmão prontamente refuta atribuindo-lhes sujeira em algumas partes bem discretas do corpo, a irmã finalmente cita a atriz Catherine Deneuve. Cascão então se dá por vencido e reconhece: Catherine Deneuve é a exceção, ela é impecavelmente limpa. Interessantemente, o escritor gaúcho confessou ao jornal Folha de São Paulo que já fantasiou que rolava na neve com a musa francesa.

Leave a Reply